Entenda tudo sobre o mundo das Milhas e Viagens.

Na Hot Milhas a segurança está em primeiro lugar, mais de 1.000.000 pessoas aprovam no Facebook.

Blog

21 dez 2011

Delta compra 3% das ações da Gol e cias expandem codeshare

Depois de um ano e meio de negociações, a Delta é a mais nova acionista da Gol Linhas Aéreas. O anúncio foi feito aos investidores na manhã desta quarta-feira (07/12) em teleconferência e os detalhes foram apresentados à imprensa em seguida, em São Paulo A companhia aérea norte-americana investirá US$ 100 milhões na Gol, o que significa uma participação da Delta de 3% no capital preferencial da Gol. A empresa brasileira reúne 40% do market share do mercado doméstico e transportou em dez anos 170 milhões de passageiros. “Estamos ampliando nossa presença no mercado internacional, sem diversificar a frota. Levaremos nossos passageiros a destinos no mundo todo sem precisar mudar nosso tipo de operação ou frota. É esse tipo de parceria estratégica que vamos priorizar daqui por diante para garantir nosso crescimento”, explicou Constantino de Oliveira Jr, presidente e CEO da Gol Linhas Aéreas.

Esse valor será, segundo Oliveira Jr, utilizado para a compra pela Delta de dois boeing 767-300 da Gol. A Delta também terá um assento independente no Conselho de Administração da Gol. O representante já foi escolhido e será o presidente da Delta, Ed Bastian. O Conselho passa agora a ter 10 membros. Em 21 de dezembro, os representantes realizam reunião para deliberar sobre o aumento de capital da Gol. Com essa aquisição minoritária, as duas empresas aéreas firmaram um acordo para a expansão do code-share já existente e integração e alinhado dos programas de milhagens. “A Gol transformou o conceito de viagens aéreas no país e para a Delta é uma grande oportunidade ser parceira da Gol, ampliando o corredor de passageiros entre a América do Norte e a América do Sul. Em 2015, o Brasil será o quarto maior mercado mundial de aviação. Acreditamos muito no país, tanto é que nos últimos quatro anos dobramos nossa atuação no mercado brasileiro. Com o crescimento desse networking, conectamos os clientes do Brasil para mais de 300 cidades do mundo”, destacou Richard Anderson, CEO da Delta AirLines.

O code-share pleno e a integração dos programas de millhagens Smiles e Sky Miles será concluído até o quarto trimestre de 2012. Um pouco antes, no entanto, ainda no terceiro trimestre, a Gol encerrará oficialmente a parceria com a outra gigante norte-americana, aAmerican Airlines. “Será a primeira vez que colocamos nosso código de voo em outra companhia aérea. Com Delta, nossa marca estará nas frequências que ligam o Brasil aos Estados Unidos e com possíveis conexões para outros destinos”, ressaltou Oliveira Jr, mencionando que a Gol está nas fase de readequação de seu sistema de reservas. A nova versão da ferramenta de vendas, de acordo com ele, será entregue em fevereiro do ano que vem e a previsão é colocá-la em funcionamento até o terceito trimestre de 2012. A Delta, por sua vez, poderá colocar seu código em todos os voos da Gol – Brasil, Caribe e América do Sul. A Delta atende mais de 160 milhões de clientes por ano e possui rede global ampla de cerca de 350 destinos em quase 70 países.

Constantino de Oliveira Jr informou ainda que, embora os programas de milhagens sejam integrados, suas características e benefícios atuais serão preservados. “Todas as promoções serão estendidas aos integrantes das duas empresas”, contou. O acordo também garante aos passageiros acesso recíproco às salas VIP em aeroportos; coordenação dos esforços de vendas, permitindo um melhor acesso ao mercado e compartilhamento de instalações aeroportuárias para facilitar o check-in e as conexões dos passageiros. “Vamos manter todos os contratos assinados com outras empresas do setor de turismo como locadoras, agências de viagens, hotéis. Nada muda. Vamos buscar os ganhos em sinergia”, acrescentou o dirigente da Gol. Ele lembrou que o acordo não contempla a entrada da companhia em uma aliança global e, neste momento, não inclui as operações da Webjet. “Ainda aguardamos a aprovação do CADE sobre a aquisção da Webjet. Mas, por enquanto, vamos preservar essa estrutura. No futuro, pode haver ganhos”, completou.

Fonte: Mercado e Eventos

Posts relacionados

Comentários

*