Blog

Cotação em 1 minutoem seu e-mail

Sua cotação em 1 minuto

Quero vender minhas milhas:

Veja nossa Política de Privacidade.

Entenda tudo sobre o mundo das milhas
e descubra como lucrar mais

Blog

16 Feb 2017

10 dicas valiosas para fazer um planejamento financeiro familiar

 

Boletos, mensalidades, prestações, contas e mais contas. Todo mês uma quantidade de despesas chega em casa e vai ficando cada vez mais difícil organizar o orçamento familiar para conseguir andar em dia com os gastos e juntar um dinheirinho para realizar os sonhos. Por isso, ter um bom planejamento financeiro familiar é fundamental para quem quer conseguir controlar o fluxo de dinheiro, evitando as dívidas e garantindo um futuro seguro para toda a família.

Para ajudA?-lo, separamos 10 dicas de ouro para administrar as contas em casa. Confira!

 

Mobilize a família

Diferentemente de um planejamento financeiro pessoal, o familiar exige o envolvimento de todos os membros do núcleo da família. Só com o engajamento de todos é possível traçar o planejamento e levA?-lo é prática.

Os filhos mais velhos devem participar ativamente nesse processo, ajudando a economizar e cumprir as metas da família. Já com os mais novos, é importante despertar a consciA?ncia do consumo responsável. Assim você também já estará contribuindo para a educação financeira das crianças.

Agrupe rendas e gastos de todos do seu planejamento financeiro familiar

Depois que todo mundo estiver envolvido, é hora de começar a entender o fluxo financeiro da família. Comece identificando a receita total, somando todo o dinheiro que é trazido mensalmente por cada membro.

Depois, discrimine as fontes de despesas, lembrando-se de que, além das contas em comum, cada membro gera um gasto específico. Dessa forma, você conseguirá perceber de onde vem o dinheiro e para onde ele está indo.

Faça anotações e use planilhas

Para conseguir identificar esse fluxo financeiro, você deve começar a anotar tudo, tanto suas receitas quanto as suas despesas. Todos os gastos devem ser anotados, inclusive os menores e mais cotidianos, como o dinheirinho que seus filhos gastam na sorveteria. Esses pequenos valores fazem toda a diferença no cA?lculo total!

As anotações podem ser feitas em caderninhos e, depois, colocadas em planilhas. Essa ferramenta propicia uma visão geral do fluxo financeiro, facilitando a identificação da forma como o dinheiro tem sido gasto mensal e anualmente.

Estabeleça limites

Depois de anotar tudo direitinho, já será possível saber o “saldo familiar”. Ele é positivo ou negativo?

Com a análise da situação financeira da sua família, vocês agora já podem planejar. O primeiro passo é estabelecer os limites, principalmente se esse saldo final está sendo negativo ou muito próximo de 0. Estabeleça um valor mensal que vocês podem gastar e a partir daÉ determine tetos também para os gastos com cada despesa.

Crie objetivos

Assim como os limites, uma ótima forma de manter o orçamento dentro dos planos é estabelecer objetivos. A meta pode ser qualquer uma, a curto, médio ou longo prazo. Por exemplo, a família pode ter como metafazer uma viagem internacionalnas férias, adquirir a casa própria, ou simplesmente acumular uma quantia até o final do ano.

Economize cortando gastos

Com as planilhas em mãos, reA?na toda a família e discutam em quais pontos vocês podem economizar. Vocês vôo perceber que há dois tipos de gastos: os essenciais e os supérfluos. é importante saber que cortar os gastos supérfluos pode impactar o padrão de vida, embora represente um saldo a mais no final do mês.

Contudo, além de cortes radicais, os gastos podem ser reduzidos com economias diárias. Você pode substituir produtos de marcas mais caras por produtos mais baratos da mesma qualidade na hora das compras. Também podem reduzir o consumo de Água e luz em casa adotando medidas simples, assim como optar por serviços mais em conta. Por exemplo, se você gasta R$ 200 mensais com academia procure outros estabelecimentos, que cobrem menos.

Resumindo, vale tudo na hora de economizar. Basta encontrar as formas que combinem mais com a família!

Fique de olho nas formas de pagamento

Outra forma de economizar é aprendendo a lidar com as possíveis formas de pagamento. A regra básica é preferir pagamentos é vista quando houver descontos e promoções. No pagamento com dinheiro, é mais comum que o cliente ganhe descontos, que giram em torno de 5% a 20% no preço do produto.

Quando não houver descontos, ou a compra for grande e você tiver que parcelar, use o cartão de crédito (e lembre-se de colocar todas as prestações nas suas planilhas!).

Para ter mais vantagens no pagamento com o crédito, você pode se cadastrar nosprogramas de milhagemdos cartões e de companhias aéreas. Assim, toda vez que você utilizar o cartão sãogerados pontos e milhas que poderáo ser convertidos em benefícios no futuro, como em novas passagens aéreas ou produtos. Asmilhas também podem ser vendidase transformadas em dinheiro!

Renegocie as dívidas

Se a família tem dívidas que vem e arrastando há muito tempo, é hora de acabar com elas. Para isso, faça um levantamento do valor de cada dívida e seu respectivo credor. Faça contato com eles e tente renegociar a dívida a partir do pagamento de parcelas que sejam satisfatA?rias e não comprometam as finanças mensais.

Livre das dívidas, vai ser bem mais fácil concretizar seus objetivos e poupar!

Faça uma reserva

Falando em poupar, as reservas familiares são importantíssimas para assegurar um futuro tranquilo e também para socorrer nos momentos de emergência.

A poupança é a forma mais prática e segura, preferida pelos brasileiros na hora de guardar dinheiro. além do mais, os juros mensais aplicados ao valor investido representam mais uma margem de lucros proveitosa para seus investidores.

Recomenda-se que sejam salvos, no mínimo, 10% da renda mensal. Esse valor deve estar contido no planejamento do mês, ou seja, não se deve pegar aquela quantia que “sobrou”, e sim a quantia que, todo mês, já será direcionada para a poupança.

Encontre maneiras de aumentar a renda

Agora que você tem tudo sob controle, já pode começar a planejar investimentos ou outras formas de aumentar a renda familiar. Ela pode crescer com a realização de atividades diversas por parte dos membros da família, como trabalhosfreelance, que vôo complementar o orçamento no fim do mês, ou realizar investimentos, como a poupança, que já mencionamos aqui.

Viu só? Não é difícil colocar as contas nos eixos, sair das dívidas e construir um futuro tranquilo para a família. Com uma boa dose de empenho e disciplina, é possível fazer um planejamento financeiro familiar muito eficiente.

Se você gostou das nossas dicas, conta para a gente nos comentários e compartilhe também suas experiências com a elaboração de um planejamento financeiro familiar!

Posts relacionados

Comentários