Entenda tudo sobre o mundo das Milhas e Viagens.

Na Hot Milhas a segurança está em primeiro lugar, mais de 1.000.000 pessoas aprovam no Facebook.

Blog

15 ago 2017

Como usar o cartão de crédito internacional de forma inteligente?

Você tem uma boa renda, viaja com frequência e possui um cartão de crédito internacional. Seu desejo é fazer um bom uso desse recurso, gastando com inteligência. A dúvida é: como fazer isso?

A ideia é usá-lo como ferramenta para conseguir o que precisa sem gastar em excesso. Assim, você assegura mais economia e praticidade e pode obter muitos outros benefícios, como o acúmulo de milhas.

Neste post, vamos reunir várias dicas que vão indicar como usar o cartão internacional de forma inteligente. Quer entender melhor? Veja o que preparamos!

Cartão de crédito internacional: quando é vantajoso?

O cartão internacional é uma ferramenta interessante em uma série de situações. Muita gente acredita que eles só podem ser usados em viagens. Isso, porém, é um mito. Você pode utilizá-lo para comprar online em lojas de outros países, fazer saques em caixas eletrônicos estrangeiros, acumular milhas e muito mais.

Além disso, é preciso lembrar que outros países não possuem a mesma moeda utilizada no Brasil. Aqui, nós adotamos o Real. Em outras nações é preciso ter em mãos o dinheiro local e um cartão internacional para facilita diversas transações.

O cuidado que se deve ter é com a forma como os gastos são realizados. Quando você os executa de forma aleatória, corre o risco de deixar de lado alguns benefícios. É por isso que você deve pensar em quais momentos esse cartão de crédito é mais vantajoso.

Confira a seguir algumas dicas para potencializar o retorno positivo:

Conte com um programa de fidelidade

Os programas de fidelidade são uma modalidade de recompensa ao consumidor pelos gastos efetuados e incentivo à compra recorrente. No caso dos cartões de crédito, eles permitem acumular milhas aéreas, ou seja, uma pontuação calculada com base na distância percorrida em um voo.

Os pontos acumulados podem ser vendidos para outras empresas. Nesse caso, você pode embolsar o dinheiro e até ter uma renda extra. Essa alternativa é ainda mais relevante nas seguintes situações:

  • expiração do prazo de validade: os programas de fidelidade inserem cláusulas que especificam uma data limite para o uso das milhas. Se esse período for ultrapassado, você perder os pontos acumulados. Por isso, é melhor vender e não arriscar;
  • dificuldades para emissão de passagens: no caso de você programar uma viagem com as milhas, pode ter problemas para adquirir um assento no voo que deseja, isso porque podem ser ofertados horários de viagem específicos que não estão adequados às suas necessidades. Vendendo os pontos, é possível fazer a compra à vista e selecionar um trajeto melhor e com horário mais adequado;
  • acúmulo de mais pontos: a compra de uma passagem aérea com milhas não possibilita o ganho de pontos extras. Se você vender o que já possui e adquirir o ticket com dinheiro, volta a pontuar.

Verifique as taxas cobradas

Os cartões de crédito, independente de serem internacionais ou apenas nacionas, exigem o pagamento de algumas taxas. Algumas delas são a anuidade, juros e a bandeira, que variam de acordo com a instituição. Por isso, vale a pena conferir antes de escolher o seu.

Ao utilizar o cartão internacional somente no Brasil você terá que pagar somente a anuidade. Porém, se adquirir qualquer produto no exterior, terá que arcar com a cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que é de 6,38% sobre o valor total da compra.

Além disso, terá que lidar com a conversão da moeda estrangeira para o real, que varia diariamente devido às flutuações do mercado de câmbio. Por exemplo: você comprou um relógio que saiu por R$ 150 ao transformar o preço para Real. A incidência de IOF, nesse caso, será de R$ 9,57, o que fará com que o produto tenha valor final de R$ 159,57.

Lembre-se de que os bancos adotam, geralmente, o dólar comercial, que costuma ter valor mais baixo que o turismo. Essa é uma questão importante que deve ser verificada.

Outro ponto necessário é o dia da conversão. Há instituições financeiras que consideram o dia da compra, enquanto outras optam pela data de fechamento da fatura ou de vencimento.

Prefira cartões vinculados à sua conta bancária

A aquisição de um cartão internacional na instituição financeira da qual você já é correntista traz uma série de vantagens. Você pode negociar o valor cobrado pela anuidade e ter um limite maior de crédito para gastar.

Por exemplo: você pode solicitar um cartão internacional em qualquer instituição financeira. Se for autorizado, seu limite será menor, porque não há relacionamento com o banco.

Por outro lado, optando pelo cartão do banco no qual é correntista você consegue ter um limite mais alto e outras vantagens, como o programa de fidelidade citado anteriormente.

Avalie se o cartão internacional é a melhor opção

cartão de crédito pode ser oferecido em 3 formatos diferentes. O institucional é fornecido pelo banco em que você tem uma conta corrente. O co-branded é uma parceria entre a operadora (como Visa, Master e American Express) e um programa de milhagem, loja de varejo ou supermercado.

Ainda existe o pré-pago, que funciona de modo similar ao celular sem conta. Esse modelo é recomendado para pessoas que têm dinheiro na conta e querem controlar os gastos.

O cartão internacional geralmente é institucional. Porém, é possível optar por um pré-pago. Apesar de o segundo apresentar algumas vantagens, ele tem várias limitações. Por isso, é importante analisar a sua situação, comparar os benefícios e ver em qual das modalidades é mais interessante.

Pague as faturas em dia

Um dos principais requisitos para usar o cartão internacional de forma inteligente é pagar as faturas em dia. Efetue sempre a quitação do valor total para evitar entrar no rotativo e pagar juros muito altos.

Certifique-se de que a data de vencimento da fatura é posterior ao recebimento do seu salário e pague sempre no prazo. É assim que você conseguirá obter todos os benefícios do cartão internacional sem arcar com os ônus da operação.

Tenha um limite razoável

Seu cartão de crédito terá um limite definido pela instituição financeira. Esse valor deve ser suficiente para você gastar sem problemas e compatível com a sua renda. O objetivo é evitar o acúmulo de dívidas e garantir o pagamento em dia das faturas.

Segundo diversos especialistas, o ideal é que o limite seja de 10% da renda. Se isso é muito baixo para você, escolha um percentual mais alto, mas lembre-se de ter cuidado com os gastos.

Seguindo essas dicas você utilizará seu cartão de crédito internacional de modo mais inteligente e obterá diversos benefícios. Gostou? Então compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais.

Posts relacionados

Comentários

*