Entenda tudo sobre o mundo das Milhas e Viagens.

Na Hot Milhas a segurança está em primeiro lugar, mais de 1.000.000 pessoas aprovam no Facebook.

Blog

08 fev 2017

Saiba onde aplicar dinheiro para obter mais rendimentos

Quem faz um esforço para economizar ao longo do mês e valoriza uma sobra financeira no orçamento, geralmente, quer saber onde aplicar dinheiro acumulado, para mais tarde realizar objetivos ou construir um patrimônio.

Por tradição, facilidade ou indicação de algum conhecido, muitas pessoas seguem o caminho quase natural de colocar a quantia excedente na famosa caderneta de poupança. Por vezes, quando passa a ser cliente de um banco, o indivíduo adquire  automaticamente uma conta corrente e uma conta  poupança.

O que muita gente ainda não sabe é que essa tradicional aplicação nem sempre oferece uma boa rentabilidade. Em alguns casos, a pessoa chega a perder o potencial de compra do valor depositado. Para não correr esse risco, entenda a seguir como é o rendimento da poupança e veja alternativas de onde aplicar  dinheiro para ganhar mais.

Como é calculado o rendimento da caderneta?

Você talvez já tenha visto em um telejornal, em uma publicação impressa ou até na internet que a caderneta de poupança com “aniversário” em tal dia terá rendimento de “zero vírgula alguma coisa por cento”. É possível que também tenha percebido que essa rentabilidade não é igual todos os dias, não é mesmo? Então, como é calculado esse ganho?

Na verdade, a rentabilidade da caderneta de poupança é formada por duas partes, uma fixa e outra variável. É bem verdade que essa parcela fixa depende do cenário econômico e pode ser calculada de duas maneiras diferentes, conforme a meta da Selic (taxa básica de juros), a qual é definida pelo Banco Central do Brasil (BCB).

Quando a meta da taxa Selic for maior do que 8,5% ao ano, a parte fixa do rendimento da poupança será de 0,5% ao mês. Já quando a meta da taxa básica de juros for igual ou menor do que 8,5% ao ano, a parcela fixa da rentabilidade da caderneta corresponderá a 70% da meta da Selic ao ano, porém, mensalizada. Por exemplo, num cenário hipotético em que a taxa básica estivesse em 6% ao ano, logo, 0,5% ao mês, a parte fixa do rendimento da caderneta seria de 0,35% ao mês.

Agora que você já sabe quais são as condições de lucro de uma das parcelas da rentabilidade da poupança, vale lembrar que a outra parte é baseada na chamada Taxa Referencial (TR), a qual oscila diariamente. Por isso, é comum o rendimento da poupança assumir diferentes porcentagens em cada dia. Você pode conhecer as taxas de rentabilidade diárias no site do Banco Central.

De modo geral, o retorno da caderneta fica por volta de 0,65% ao mês e, logo, 7,8% ao ano. Ainda assim, a rentabilidade pode variar, por exemplo, entre 6% e 9% em doze meses. Vale lembrar que a remuneração sobre o capital aplicado ocorre somente após o “aniversário” de um mês, portanto, se alguém depositar uma quantia e sacá-la antes desse prazo, não obterá rendimento.

Você já entendeu como é o cálculo da rentabilidade da poupança e agora deve estar curioso para saber o porquê ela não é um “bom negócio”, não é mesmo? Então, na prática, existem outras aplicações financeiras de renda fixa (que funcionam como um empréstimo com juros) capazes de oferecer um retorno superior ao da caderneta, também com baixo risco. Além disso, o investidor deve cuidar de outro ponto antes de pensar na poupança. Veja qual é, a seguir.

Onde aplicar dinheiro sem perder poder de compra?

Na hora de fazer qualquer aplicação financeira, o indivíduo deve comparar o chamado lucro nominal e o denominado lucro real. No primeiro caso, trata-se da soma do capital inicial mais a taxa de juros acordada no investimento, que representará o montante ou saldo acumulado. Já no segundo, trata-se do montante menos a inflação do período da aplicação.

Sempre que pensar em um investimento e buscar saber onde aplicar dinheiro, você deve priorizar aplicações que proporcionem lucro real, quer dizer, acima da inflação. Essa temida palavra representa o aumento generalizado dos preços, o qual faz o poder de compra do dinheiro diminuir. Logo, não adianta ter um crescimento no saldo da caderneta de poupança, se esse valor não for suficiente para suprir as necessidades do investidor.

Para você ter uma ideia da importância desse cuidado ao aplicar dinheiro, já houve anos em que a inflação foi superior ao rendimento da caderneta de poupança, como em 2015. Nessa situação, quem deixou uma quantia parada nessa tradicional aplicação, no fundo, teve perda do poder de compra. Para fugir desse perigo, acompanhe na sequência algumas possibilidades de investimento com retorno superior ao da caderneta.

Que investimentos seguros rendem mais do que a poupança?

No chamado mercado de renda fixa, no qual quem aplica sabe com antecedência quais serão as condições de rentabilidade do investimento, há ao menos quatro opções para o poupador colocar o próprio dinheiro e ganhar mais do que a caderneta.

Uma delas é a aplicação nos títulos públicos federais, por meio do programa Tesouro Direto, que possui garantia do Estado brasileiro. Há uma grande diversidade de títulos, como os pré-fixados (taxa de juros acordada na contratação), os ligados ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (taxa fixa mais variação da inflação) e o vinculado à Selic (paga a variação diária da taxa básica de juros).

Outra opção de onde aplicar dinheiro é o Certificado de Depósito Bancário (CDB), que funciona como uma espécie de empréstimo para um banco, em troca de uma remuneração por isso. Os CDBs são produtos do mercado financeiro, logo, possuem diversas características e rentabilidades. Bancos pequenos e médios tendem a oferecer retornos maiores do que as instituições grandes, as quais possuem muitas agências pelo país. Os CDBs mais vantajosos, assim como os títulos públicos, podem ser adquiridos em corretoras de valores.

Mais algumas alternativas à caderneta de poupança são a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA). Ambas aplicações também são espécies de empréstimos a bancos, contudo, nesses casos os valores serão usados pelas instituições na oferta de crédito para o setor imobiliário e de agronegócio, conforme cada caso.

Geralmente, CDBs, LCIs e LCAs são remunerados com base num percentual do Certificado de Depósito Interbancário (CDI), o qual possui uma taxa muito semelhante à da Selic. Por exemplo, enquanto em 10 de janeiro de 2017 a meta da taxa Selic estava em 13,75% ao ano, o CDI ficou em 13,63% ao ano. Nesse cenário, o rendimento da poupança foi de 8,30% no acumulado de 12 meses, e a inflação medida pelo IPCA foi de 6,99% no mesmo período. Como você pode perceber, as aplicações cujas remunerações estão vinculadas ao CDI e à taxa Selic tendem a possuir rentabilidades bem superiores à poupança, logo, a caderneta nem sempre é uma boa ideia.

Gostou deste artigo sobre onde aplicar dinheiro? Então, compartilhe em suas redes sociais e ajude amigos a encontrar melhores opções de investimento.

Posts relacionados

Comentários

*